segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Rafael - Por Experiência Própria


Falar do meu próprio nome não é tarefa fácil. Hoje, faz exatamente dezanove anos que a minha mãe olhou para o meu pequeno rosto de recém-nascido e me nomeou. É, sem dúvida, uma história interessante, pois não havia nome pensado, não se sabia o sexo, quanto mais o nome! Simplesmente, segundo o que a minha mãe me conta, quando olhou para mim pensou “Rafael Alexandre”, e assim ficou.

Rafael é um nome que não tem muitas variantes: Rafaela, Raffaela/ella ou Raphaelle no feminino e Raphael/ël, Raffaele, Raffaello (sim, como o bombom), Rafal ou Raffael no masculino. Para mim, a simplicidade, muitas vezes, ganha pontos, e este é indubitavelmente um desses casos. Apesar de não ser um nome de topo nos meus rankings é um nome que aprendi a gostar ao longo do tempo.

Trata-se de um nome hebraico, derivado de רָפָאֵל (Rafa'el) e que significa “curado por Deus” . O seu significado não me diz muito e não me identifico com ele nesse aspeto, pois não tenho qualquer religião. Porém, a sua história cativa-me. Na tradição hebraica, Rafael era um dos sete arcanjos, apareceu no Velho Testamento onde se diz que este auxiliou Tobias.

Apesar de nunca ter sido um nome frequente nos países de língua inglesa, este é um nome intemporal em alguns países da Europa, no Brasil e em países onde predomina a língua hispânica. Veja-se por exemplo, aqui, em Portugal, atualmente este nome encontra-se na 16ª posição por ter atingido os seus exorbitantes 993 registos em 2014, e no Brasil, ainda mais acima, na sua 9ª posição. Trata-se, portanto, de um nome inegavelmente popular.

Como já referi, Rafael foi um nome que aprendi a gostar, pois houve certas fases da minha infância/pré-adolescência em que não gostava dele, por ser demasiado comum, chegávamos a ser três na mesma turma com menos de trinta pessoas. Na altura, preferiria chamar-me algo como Félix, que era o oposto de Rafael, nunca tinha conhecido nenhum (nem no presente conheço).

A minha maior referência a este nome é Raffaello Sanzio, pintor e arquiteto italiano renascentista, que inspirou uma das Tartarugas Ninja uma série de animação da minha infância. Outra grande referência é Rafael Bordalo Pinheiro, artista plástico, jornalista e professor português bastante conhecido por ser o autor da ‘figura’ Zé Povinho. Uma outra referência mais atual é Rafael Nadal, tenista profissional espanhol.

Tenho, inevitavelmente que escrever um parágrafo sobre Rafa, o diminutivo mais associado ao meu nome: tenho a dizer que não gosto nada que me tratem assim, exatamente por todos os Rafael, serem Rafa, não me identifico, e só daí dá para entender o quão horrível deve ser ter um nome com o qual não nos identificamos. Abro exceção para apenas alguns familiares e pouquíssimos amigos que não me importo que me tratem assim. Hoje em dia, os meus amigos praticamente todos me tratam por Feb, um diminutivo não tão direto, mas, também, só assim o é porque foi de encontro com o meu sobrenome.


Por fim, gostaria de dizer que, apesar de considerar um nome “normal”, acho-o um nome bonito, pois, tem beleza na sua simplicidade, e digo-vos, muito sinceramente, que gosto de saber que ainda é um nome utilizado em bebés dos nossos dias, apesar de não me cruzar com um há muito tempo. Na minha opinião, mais vale vinte crianças chamadas Rafael do que um Wanderley.

Concordam comigo?

9 comentários:

  1. Durante muitos anos, Rafael foi o ÚNICO nome masculino de que gostei! Não sei explicar muito bem o fascínio, mas a verdade é que sempre tive um gosto muito cuidado e constante por este nome :) Acho-o muito elegante e durante toda a minha vida só me cruzei com três rapazes chamados Rafael.

    Hoje, felizmente, já tenho um leque muito bem estabelecido de nomes masculinos, mas Rafael mantém a sua condição como um dos nomes que mais sentido faz para mim :)

    ResponderExcluir
  2. A popularidade não tira a beleza de Rafael. Sempre será uma escolha segura.

    ResponderExcluir
  3. Rafael nunca foi um nome que eu gostasse muito. No meu ano de nascimento (1993) houve um Rafael que nasceu na minha terra e 10 anos depois ouve outro Rafael a nascer por lá. O primeiro ficou "Rafa" e o segundo ficou "Rafita"... nõ consigo gostar de nenhum.

    Ps: adorei o texto :)

    ResponderExcluir
  4. Claro que concordo! A popularidade incomoda, mas Rafael não deixa de ser um nome bonito por isso.

    ResponderExcluir
  5. Acho Rafa adorável! :D Rafael é um bom nome, mas não usaria :)

    ResponderExcluir
  6. Rafael é um dos meus nomes masculinos favoritos, ao contrario de outros nomes a popularidade dele não me incomoda tanto.

    ResponderExcluir
  7. Também me chamo Raphael (no caso com 'ph') e eu gosto muito do meu nome.

    Não sou nenhum pouco religioso, enquanto meus pais são por isso me batizaram assim, mas eu gosto mesmo assim.

    Aqui no Brasil, pelo menos, é um dos nomes masculinos mais populares. Na escola sempre tinham vários Rafaéis/Raphaéis na minha sala.

    ______
    Sobre mim:
    Jovem estudante entusiasta de Psicologia que sofre com Transtorno Afetivo Bipolar (TAB). No meu blog você vai encontrar desde artigos técnicos informativos de Psicologia, Psicanálise e Saúde Mental, a também reflexões, desenhos e poemas de minha autoria.

    ______
    🌐 Relatos de um Garoto de Outro Planeta
    👍 Facebook: Relatos de um Garoto de Outro Planeta

    ResponderExcluir
  8. Gosto demais de Rafael nome lindo. Se não tivessem dois na minha rua eu daria a um filho meu.

    ResponderExcluir
  9. Eu tambem não me identifico com meu nome Cristiane,mais muitos acham bonito. É unome que carrega um significado bem forte.

    ResponderExcluir