segunda-feira, 9 de abril de 2018

Nomes & Diminutivos/Alcunhas



Embora ainda não seja muito usual conhecer uma criança cujo o nome é também diminutivo/alcunha, aos poucos e poucos, esta categoria de nomes vai ganhando terreno. O antropónimo masculino com mais destaque desta lista é Manel que inclusive já faz parte do Top 100 português. Hoje vou apresentar-vos a minha visão sobre este tema e expor o lado positivo e negativo de optar por registar um filho com um nome que mais depressa é associado a ser a forma carinhosa de tratamento do que ao nome em si. 

Primeiramente, vou dar a conhecer a compilação dos nomes que também são diminutivos/alcunhas: 

Nomes Masculinos:
Nomes Femininos: 
Notas
  1. Como podem ter percebido, existem nomes que se repetem, como é o caso de Cris, Rafa Sam. Caso se estejam a perguntar porque então Alex não pode funcionar para Alexandra ou Gabi para Gabriel, não vos sei responder. Eu guiei-me pela última atualização da base de dados e até à data é desta forma que se podem registar os diminutivos/alcunhas em Portugal. 
  2. Como é notório algumas possibilidades masculinas não têm a sua correspondência no feminino. Chica e Kika, a título de exemplo, de momento são nomes que ainda não podem ser registados em Portugal. 
  3. Esta lista de carácter exemplificativo tem apenas a seleção que fiz de nomes que são diminutivos/alcunhas. 
A minha opinião:
Quero deixar bem frisado que é o meu ponto de vista e vocês têm todo o direito de discordar dele, aliás, iria adorar conhecer a vossa visão sobre este assunto, não se esqueçam de a mencionar nos comentários. Gostaria ainda de deixar esclarecido que tentei analisar todos os pontos de vista possíveis. 

Pontos positivos:
  • Se o gosto dos pais é mesmo esse, não vejo onde está o problema. Se preferem nomear a bebé Xica e não Francisca, penso que devam ir em frente. Temos o exemplo do Pedro e da Cátia do A Xio (quase que) mara. Eles são um casal muito divertido que vivem a vida na base do amor e do humor. A Xica nasceu em 2016 e foi a única bebé registada com esse nome em Portugal naquele ano. Ela veio juntar-se a um casal de marados (no bom sentido) e aos irmãos de 4 patas, o Chico e o Jonas
  • Se vão acabar por tratar o pequeno por Gui o tempo todo, então não fará muito sentido registar Guilherme
  • Terá um nome exclusivo. Acredito que durante alguns anos os diminutivos/alcunhas continuem resguardados. Até podem haver 5 meninos Alexandre na turma, mas Alex, haverá só um; 
Pontos negativos:
  • Estamos numa sociedade que se diz evoluída, mas que gosta bastante de julgar. Será que uma Guida terá tantas hipóteses de ser bem sucedida como uma Margarida? O que eu quero dizer com isto é se o facto da pessoa ter um diminutivo ou uma alcunha como nome não a deixará infantilizada e a irá desvalorizar um dia mais tarde no mercado de trabalho, na vida adulta; 
  • O Bullying. Bem sei que hoje em dia uma criança ou jovem está sujeita a ser vítima por inúmeras razões... cor, orientação sexual, tipo de corpo, a forma como se veste, até mesmo os resultados escolares. Quero deixar clarificado que acredito que a educação parte de casa e os educadores têm o dever de passar bons princípios aos seus filhos, netos, sobrinhos. Além disso, também sou da opinião que nós é que fazemos o nome e não vice versa... mas também sei que quando uma criança quer ser maldosa, ela é. Será que um Toni ou um Quim não estariam mais sujeitos a ser motivo de gozo? 
Este assunto deixa-me ainda com outra pergunta no ar: Será que na próxima atualização da base de dados teremos aquisições novas? Como Chica, Kika, Pipo, ...? 

Para mim estes são os pontos mais relevantes deste tema. Qual é a vossa opinião sobre este assunto? Acham que nestas listas há nomes mais usáveis que outros? Dariam aos vossos filhos nomes que são também utilizados como diminutivos/alcunhas?

Para saber mais sobre nomes diminutivos aceites em Portugal clique aqui.

Fontes consultadas: 

IRN, O BLOG DOS NOMES. 

12 comentários:

  1. Olá!

    Eu gostei muito do trabalho que você fez aqui, e concordo com seus pontos negativos, principalmente, porque é muito complicado em um país que prefere apontar o dedo antes de conhecer alguém. A depender do nome, isso pode gerar problemas para a criança.

    Mas também pode ser um ponto positivo, porque vai chamar a atenção ter um nome diferenciado. E ela, sem tanto trabalho, vai ter destaque.

    Os pontos positivos, achei interessantes também. Mas não tenho como opinar muito, acho difícil existir nome exclusivo. HEHUEHUE

    ResponderEliminar
  2. Sou totalmente incoerente. Max para mim é nome, Manel é diminutivo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade Max só é nome para o Mad Max, rsrs

      Eliminar
    2. Começo a achar que sim. Até o Max Weber era Karl Emil Maximilian.

      Eliminar
  3. Gostei bastante da postagem! A achei bastante elucidativa.
    Conheço um Cadu e uma Bia. Sempre achei estranho e eu não colocaria, mas no final, acaba sendo divertido de chamar.
    Em relação à infantilidade que a forma traz quando está em alcunha, eu não vejo dessa forma, porque muitas pessoas veem a alcunha como sinônimo de intimidade e infantilidade, mas eu vejo como carinho. Sempre vi dessa forma.
    Tanto que conheço uma mãe que colocou o nome do filho de Samuel e quando eu o chamei por Samuca, ela disse que não gostava que o chamasse assim porque era como se o estivesse diminuindo.
    Então eu disse a ela que a forma como chamamos seja pelo nome completo ou pelo apelido, não faz diferença se não for feita com respeito e carinho. Posso chamar uma pessoa de Rosana e odiá-la, mas também posso chamá-la de Rosinha e ter um amor muito grande por essa pessoa. Sem necessariamente querer diminuí-la ou forçar alguma coisa. Enfim...
    As pessoas estão muito melindrosas, sou muito carinhosa e costumo usar determinados termos no diminutivo, mas tem sempre alguém pra me olhar torno ou pra me chamar de falsa. Mas uso sempre com carinho. Ou seja, ninguém está acostumado com carinho, não! rsrs
    Enfim... Adorei sua postagem! Beijão!

    Eliziane Dias

    ResponderEliminar
  4. Olá
    Muitos dos diminutivos que você citou já são nomes aqui no Brasil faz tempo, como Mac e Alex.
    Quanto dá um nome assim para meus filhos iria depender muito tem uns que acho que fica estranho e eu concordo com a opinião sobre infantilidade, o diminutivo fica legal em ambientes mais íntimos ou informais

    ResponderEliminar
  5. Acho lindo o nome Alexandre, na minha família tinha uma tradição de colocar o nome de Alexandre nos primogênitos, mas infelizmente essa tradição que teve inicio com meus bisa acabou com essa nova geração!

    ResponderEliminar
  6. Olá primeiramente parabéns pelo post muito bem escrito. Eu não tenho filhos ainda mas quando tiver não quero por nomes comuns. Isto é muito interessante pois eu nunca tinha parado para pensar que os nomes de pessoas também tem diminuitivos. E acho que nomes assim ficam um pouco americanizados (bom é só minha opinião) e concordo contigo

    ResponderEliminar
  7. Oi Ana!!
    Que publicação interessante. Eu tenho visto muitos pais colocarem nomes bizarros em seus filhos e me pergunto se eles não tem noção de que essa criança pode ser ridicularizada na escola. Fora os nomes compostos que nem sempre são agradáveis juntos. Quanto a diminutivo ou apelido, eu acho até legal, mas não colocaria como nome no registro de nascimento.
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  8. Olá, tudo bem?

    Você trouxe um tema muito interessante para discussão. Com certeza os nomes diminutivos se tornam muito agradáveis, mas gosto deles apenas para apelidos. Colocar um nome diminutivo em uma pessoa, pode sim acarretar precomceito no futuro, então é sempre melhor evitar!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  9. Sim, há nomes mais usáveis que outros, como Téo, Max e Alex (eu inclusive usaria Téo,mas na grafia Theo). Já Chico, Chica e Zé, não acho usáveis como nome próprio, ficam bem apenas como apelido mesmo.

    ResponderEliminar
  10. Não gosto que mim chamem pelo diminutivo. Adorei sua matéria sobre o tema. Parabéns.

    ResponderEliminar