quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Dâmaso


Qualquer pessoa que tenha lido Os Maias de Eça de Queirós não olha para este nome com indiferença! É um nome da nossa literatura, utilizado de forma satírica, como era bem o estilo de Eça, numa personagem que encarnaria os males da sociedade, que ser cria ser corrupta e influenciável. Ok, a associação não é a mais bonita se tivermos em conta a personagem em si, mas se olharmos para a obra genialmente concebida por aquele que é um dos maiores escritores portugueses de todo o sempre, Dâmaso torna-se, subitamente, um nome pomposo e com classe.

Hoje em dia não é utilizado, e mesmo durante o século XX utilizou-se muito pouco (não mais que 7 registos por ano), o que faz com que Dâmaso ainda preserve aquele ar aristocrático oitocentista maravilhoso. Na verdade, o nome caiu de tal forma em desuso que já não se encontra presente na lista de nomes autorizados em Portugal, embora eu acredite que seja aceite. Em sua vez, encontramos por lá Damas, um diminutivo deste nome, mas com tradição germânica, o que não deixa de ser curioso. Confesso que tenho dificuldade em imaginar um Damas português, mas pouca dificuldade em imaginar um Dâmaso, à moda antiga mesmo!

Apesar de ser um nome antigo, não o vejo como um nome empoeirado. Acredito que há alguma coisa em Dâmaso que o faz ser interessante e leviano para mim, talvez seja mesmo a obra literária, talvez seja porque o associo a Danúbio (como o rio e como a famosa valsa) ou até mesmo porque hoje em dia se continuam a encontrar vários Dâmasos em Portugal (em apelido/sobrenome).

Na sua origem, acredita-se que derive do grego damazo que significa algo como domesticar ou controlar. Novamente, aqui Dâmaso não soma pontos, mas se é religioso talvez gostará de saber que houve um papa (português) com este nome, que é considerado por vários historiadores como um dos papas mais prestigiados do século IV! E este pormenor também nos dá conta do quão antigo é o nome Dâmaso e da sua tradição de uso em Portugal! Curiosamente, uma das suas variantes é Damásio, apelido/sobrenome de um dos maiores neurocientistas mundiais do momento: António Damásio.

No Brasil, curiosamente, esta tradição não existe, tendo nós a informação de que entre 1930 e 2000 não nasceram mais de 170 pessoas com este nome e de que atualmente o cenário é exatamente o mesmo.

Dâmaso parece um nome de contrastes culturais entre Brasil e Portugal, mas em ambos os países não é considerado atual, nem é usado. A cada ano que passa o nome parece afundar nos confins do tempo mas talvez sem necessidade nenhuma. Que acham sobre o nome?


Fontes consultadas:
ARPEN/SP, Behind the Name, Eça de Queirós (Os Maias), IBGE, IRN, SPIE, Wikipedia.

9 comentários:

  1. Não acho que seja um nome exatamente bonito(tb me lembra damasco), mas tem algo nele que prende a atenção. Achei a foto um charme!

    ResponderEliminar
  2. Sou fã dos Maias então tenho um fraquinho por Dâmaso. Acho um nome perfeitamente usável e vejo-o da mesma forma que tu vês.

    ResponderEliminar
  3. A família da minha mãe é Dâmaso, assino Dâmaso e os apelidos das minhas duas filhas e o filho também são Dâmaso. Tem muita mística e adorei encontrar o nome no livro "os Maias". Só eu e a minha mãe usávamos o Apelido...já somos 5.Já agora...não faz lembrar Damasco...as sonoridades são bem diferentes...isso é apenas a necessidade de comparar algo com outra coisa qualquer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, um dia queria entender qual a necessidade de se comparar as coisas assim, sonoridades totalmente diferentes... Meu sobrenome também é Dâmaso e eu nem consigo contar quantas vezes já compararam com Damasco, enfim, só queria compartilhar um pouco da minha indignação com isso kkk

      Eliminar
  4. Sou Dâmaso e adoro este sobrenome. Tenho uma filha e fiz questão de preservar esse nome. E sabendo que estou entre os 170 nascidos nesse período o faz mais especial para mim

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também amo meu sobrenome, e agora mais ainda... kk

      Eliminar