sábado, 31 de dezembro de 2016

Amor


Para fecharmos o ano em grande estilo, nada melhor que falar de um nome que representa o mais nobre dos sentimentos, o amor! Sem dúvidas esse é um nome peculiar, um literal com muita força, muita presença.  Muitos podem estar se perguntando: "Amor como nome próprio?" Sim, é possível. Amor está presente no Behind the Name, site que usamos como referência em nossas pesquisas, além disso possui registros no IBGE e em Portugal é admitido como nome masculino. Com seu estilo hippie poético e romântico, Amor se encaixa no grupo de nomes literais ligados à bonitos sentimentos como Esperança, Liberdade, Felicidade, Alegria, entre outros. É uma opção que pode ser pensada para os meninos (inclusive em muitos países Amora é considerada a versão feminina de Amor).

Amor tem origem no latim e refere-se ao grande sentimento de carinho e afeição entre os seres vivos. Para os antigos romanos Amor era um outro nome para o mitológico Cupido, conhecido entre os gregos como Eros, o deus do Amor. Filho de Vênus e Marte, Cupido andava sempre com seu arco pronto para disparar flechas que despertavam amor e paixão em mortais e em deuses. 

Apesar do uso pequeno como nome próprio, Amor é também usado como sobrenome e nesse caso sua frequência parece ser maior. Pode ter se originado através da própria palavra amor ou pode ter vindo da frase "at the moor", que significa "no pântano". Com o tempo a frase foi abreviada para A'Moor, o que indicaria que os antigos portadores iniciais desse sobrenome teriam vivido perto de pântanos.

Representantes do sobrenome Amor:
  • Christine Amor - atriz australiana;
  • Guadalupe Amor (conhecida como Pita Amor) - escritora  e poetisa mexicana;
  • Guillermo Amor - ex-futebolista e treinador espanhol;
  • Kyle Amor - jogador de rugby inglês;
  • Simon Amor - treinador de rugby inglês.

Como nome próprio fiquei surpresa em encontrar um número considerável de registros nos Estados Unidos. Nesse país existem 1 239 pessoas chamadas Amor, sendo utilizado por meninos e meninas (com frequência maior como nome feminino). Em 2015 houve 112 registros (87 meninas e 25 meninos).

Já em nossos países, talvez por sua forte carga literal, o uso é menor mas não menos importante! Em Portugal é admitido como nome masculino pelo IRN, mas nunca foi registrado de 1920 a 1980. Em 2014 foi registrado 1 menino chamado Manuel Amor e 1 Madalena Amor. No Brasil, segundo o IBGE, existem 66 pessoas com o nome Amor (40 homens e 26 mulheres) e é no estado do Maranhão que o nome tem maior presença. Em 2015, no estado de São Paulo, houve o registro de 1 Julio Amor e também 1 registro de Sonya Amor. No mesmo ano não existiram registros como primeiro nome (tanto no Brasil, como em Portugal).

Amor é um nome especial, representa um lindo sentimento e pode agradar os fãs de nomes literais que tenham coragem de ousar. Para quem gosta mas o acha demasiadamente ousado, há sempre a opção do uso em compostos. No meio de tantos nomes femininos literais, Amor surge como uma alternativa para os meninos. Nada melhor do que desejar para um filho uma vida com muito amor, não é mesmo? E um 2017 repleto de muito amor é o que desejamos para todos os nossos leitores!

Qual a sua opinião sobre Amor como nome próprio?


Para conhecer mais Nomes Hippies Masculinos clique aqui.
Para conhecer mais Nomes Românticos Masculinos clique aqui.


Fontes consultadas:
ARPEN, Behind the Name, House of Names, IBGE, IRN, Names Org, O Blog dos Nomes, SPIE, Wikipédia.

2 comentários:

  1. Gostei desta associação de nomes literais virtuosos ao último e primeiro dia do ano! Não usaria Amor como nome próprio precisamente pela carga que é referida no texto, preferia utilizar um nome que me remetesse para o mesmo mas de forma mais abstracta, como Amadeu (que gosto muito), por exemplo. Mas achei a publicação muito interessante, desconhecia por completo a ligação aos pântanos - muito curioso!

    ResponderEliminar
  2. Como sobrenome gosto agora como nome próprio não.

    ResponderEliminar