sexta-feira, 22 de março de 2019

Adivinha o Nome - Bebé Real a Caminho



Confesso que estava ansiosa para fazer este post. Desde que soube que a Meghan Markle estava grávida que comecei a supor qual seria o nome do bebé. Até à data desta publicação não se sabe quando nascerá o/a próximo/a duque/duquesa, mas pensa-se que o recém-nascido deve dar o ar da sua graça em finais de março/inícios de abril. O sexo do bebé ainda não foi revelado e especula-se que eles próprios não quiseram saber o sexo do rebento. Não sei se o casal vai optar por dar 3 nomes aos filhos (visto que o bebé deles é primo direto de George, Charlotte e Louis), no entanto, espero deles algo na mesma linha dos nomes dos restantes sucessores ao trono, mas talvez uma composição não tão convencional. As minhas apostas vão para Alice Victoria Beatrice e Philip Alexander James

Que nomes pensam que eles podem escolher? 

Ana Madaíl Carvalho

Fontes Consultadas:
Time.

quinta-feira, 21 de março de 2019

Miro


Quando pesquisei para o post Nomes Ligados à Paz me deparei com Miro, nome que já conhecia mas que até então sempre me passava ao lado. Só que agora esse pequeno e singelo nome ganhou um brilho especial aos meus olhos! Miro é bonito em sua simplicidade e pode ser uma boa aposta para aqueles que gostam de nomes curtinhos e pouco usados.

Miro surgiu como um diminutivo de Miroslav, nome de origem eslava composto pelos elementos "miru", que significa paz ou mundo, e "slava" que quer dizer glóriaMiroslav foi um rei da Croácia no século 10 deposto por um de seus nobres depois de governar por quatro anos. Fora das fronteiras eslavas ocasionalmente Miro é usado como a forma curta de Argemiro, Casimiro, Belmiro, entre outros antropônimos com a mesma terminação. 

Atualmente o destaque de Miro se dá na Finlândia, onde encontra-se posicionado entre os 50 nomes mais usados para meninos no país.

Entre nossos povos Miro tem desempenho tímido: sua frequência em todo o Brasil é de apenas 1.761 pessoas, estando mais concentrado na região sul, em especial no Rio Grande do Sul. Seus registros mais recentes no estado de São Paulo datam de 2016, com 3 nascimentos. Em Portugal infelizmente ainda não faz parte da lista de nomes admitidos (curiosamente Miroslav sim).

Personalidades:
  • Miro - rei da Galícia sueva;
  • Miro Allione - executivo italiano;
  • Miro Teixeira - político brasileiro;
  • Joan Miró - pintor surrealista espanhol.

Miro é pequeno em tamanho mas grande em sonoridade, tem presença e charme. Lembra Ciro, outro nome que gosto bastante. Acho que já é hora de pararmos de negligenciar Miro e dar-lhe o destaque merecido! É não somente um apelido/diminutivo, mas sim um nome próprio com qualidades e potencial.

Usariam Miro?

Patricia Monteiro 

Fontes Consultadas:
ARPEN/SP, Behind the Name, IBGE, IRN, Nameberry, O Blog dos Nomes, Wikipédia.

quarta-feira, 20 de março de 2019

Hinata - Atendendo a Pedidos



Quando olho para um nome unisexo tenho tendência a associá-lo imediatamente a um género ou outro, mas no caso de Hinata tive dificuldade. É que Hinata fica mesmo bem tanto num menino como numa menina, pelo menos é o que eu acho.

Hinata é um lindo nome japonês que vem de caracteres japoneses que significam local ensolarado ou em direção ao sol. 向日葵(himawari), que é uma leitura da mesma palavra mas fora da padronização normal, dá o significado de girassol a Hinata.

Além de ser um nome próprio, Hinata é também um sobrenome comum no Japão, como acontece com muitos dos nomes japoneses.

No Japão é um nome relativamente comum e é o nome de diversas celebridades e artistas de diferentes gerações, como por exemplo o kickboxer japonês Hinata, o ator Hinata Igarashi, o futebolista Hinata Kida, Hinata Takeda, uma artista de mangá e Hinata Kashiwagi, cantora pop.

Hinata é também o nome de muitas personagens de anime e mangá, e isso deixou-me a pensar se a leitora Fernanda, que pediu para que escrevéssemos sobre este nome, não tivesse conhecido por aí mesmo. Não me admiraria nada porque se uma pessoa for fã de anime com certeza já se deparou com o nome Hinata. E Hinata é o nome de uma personagem da talvez mais famosa série de anime, Naruto.

Em Portugal Hinata é um nome aceite somente no feminino, mas tanto em 2016 como em 2018 não obteve nenhum registo. Não existem muitos japoneses a viver em Portugal e aí se deve o facto de não nascerem bebés Hinatas. Sendo um nome exclusivamente japonês, dificilmente alguém irá conhecer este nome ou até ponderar usar. A sua sonoridade é claramente asiática, e por isso demasiada fora do comum e estranha para a maioria dos portugueses.

No Brasil a popularidade de Hinata é igual a de Portugal, inexistente. Em São Paulo, no ano de 2017, não houve nenhum registo de Hinata e não há nenhum dado no censo do IBGE (o que significa que até 2010 menos de 20 brasileiros receberam esse nome).

Com disse atrás, Hinata é um nome  de uso praticamente exclusivo japonês e por isso muito raro pelo resto do mundo. Apesar do anime ter adoradores por todo o mundo, dificilmente Hinata irá ser mais usado também, mas é conhecido por quem segue esse tipo de séries e arte.

Eu nunca me interessei por animes, à exceção da série Sailor Moon (e quem não gostou?) e talvez por isso desconhecia por completo o nome Hinata, mas quando surgiu a oportunidade de escrever sobre este antropónimo vi que tinha algo interessante nele, talvez a sonoridade que é tão fora do comum e adorei os significados!

Apesar de ver qualidades em Hinata não acho um nome facilmente usável fora da comunidade asiática, porém é merecedor de toda a nossa atenção, assim como todos os nomes.

E vocês, já conheciam Hinata?

Cláudia Barata Sandal

Fontes: 
Behind the Name, ARPEN/SP, IBGE, IRN, Wikipédia.

terça-feira, 19 de março de 2019

Qual é o melhor nome - Dimas vs. Dimitri - Atendendo a Pedidos


Dimas e Dimitri foram os escolhidos para o duelo de hoje. E apesar de distintos têm muito em comum, vamos descobrir em que quesitos! 

Ambos os nomes têm significados ligados à natureza. O significado de Dimas é pôr do sol e o de Dimitri é consagrado à mãe terra

Para além desta coincidência os dois são nomes presentes na mitologia grega e são antropónimos ligados à religião. 

No ano passado em Portugal não foi registado nenhum Dimas nem nenhum Dimitri. No entanto, no estado de São Paulo em 2017, nasceram 8 Dimas e 24 Dimitris. 

Tenho de admitir que o que mais me cativa nestes nomes são os significados. Pessoalmente é algo a que ligo muito na hora de escolher um nome e posso afirmar que tanto Dimas como Dimitri têm dos significados mais bonitos e poéticos que me consigo lembrar. A minha escolha é Dimas, qual é a vossa?

Ana Madaíl Carvalho

Fontes Consultadas:
O BLOG DOS NOMES, IRN, ARPEN/SP.

segunda-feira, 18 de março de 2019

Lala - Atendendo a Pedidos


Como não se encantar com Lala? É um nome que exala alegria, além de possuir uma sonoridade doce e musical, um mimo! Confesso que até a realização desta pesquisa não o conhecia como nome próprio, apenas como diminutivo (funciona como um apelido para Eulália), mas não é que ele é sim um nome legítimo e que ainda conta com o plus de ter um belo significado? E se lembrarmos da existência dos similares Laila e Lila, por que não dar uma chance para o fofinho Lala?

Lala tem origem em uma palavra eslava que significa tulipa. Deriva do turco Lale que, por sua vez, surgiu a partir do persa Laleh. Simultaneamente também aparece na língua romani, usada pelos ciganos, como um nome feminino que significa rubi, vermelho ardente. Seja como tulipa ou seja como rubi, os significados de Lala são maravilhosos! Adoro nomes ligados a flores e pedras preciosas, então para mim Lala só ganha pontos positivos!

Símbolos de fama e do amor perfeito, as tulpas são originárias da Turquia, mas foi na Holanda que elas mais se adaptaram, passando a ser um símbolo do país. Seu nome vem da palavra turca tulbende (turbante), pelo formato das flores lembrarem este adereço. Tulipas de cores diferentes têm significados diferentes. Uma lenda turca dá um significado especial à tulipa vermelha. Diz a lenda que Farhad, um príncipe turco, estava apaixonado pela jovem Shirin. Quando Farhad soube da morte de Shirin, ficou tão devastado que tirou sua própria vida montado em seu cavalo na beira de um penhasco. Uma tulipa escarlate cresceu de cada gota do seu sangue que caiu, dando à tulipa vermelha o significado de amor perfeito. Achei a história tão melancolicamente bonita que precisei partilhar com vocês.

Nos Estados Unidos é estimado que existam 1.694 pessoas chamadas Lala, dados computados de 1880 até 2017. Fez parte do Top 1000 norte-americano de 1884 até 1902, atingindo sua melhor colocação em 1900, na posição #725.

Em nossos países Lala é quase como um estranho no ninho: no Brasil o IBGE informa a frequência de apenas 167 portadores  em todo o país, com maior uso no estado de Pernambuco, seguido por Bahia e São Paulo. Não há notícias de registros recentes. Em Portugal é inexistente.

Para quem tem dúvidas quanto à pronúncia (eu digo Lála), deixo o link do site Kidpaw que a disponibiliza em diferentes idiomas. Para ouvir clique aqui.

Personalidades:
  • Lala Hsu - cantora taiwanesa;
  • Lala Rudge (Maria Imaculada da Penha Trussardi Rudge) - empresária e blogueira brasileira;
  • Lala Sloatman - modelo, atriz e figurinista americana (sobrinha de Frank Zappa);
  • Lala Sjöqvist - atleta olímpica sueca.
Acredito que Lala possa cativar quem gosta de nomes curtinhos, irreverentes e de fácil grafia. Também pode cair nas graças de quem gosta de nomes com significados floridos ou de pedras preciosas. É um nome despretensioso que transmite meiguice e emana boas vibrações.

Dariam uma oportunidade para o simpático Lala?

Patricia Monteiro 

Fontes Consultadas:
ARPEN/SP, Behind the Name, IBGE, IRN, Kidpaw, Names Org, The Flower Delivery Company, Wikipédia.

sexta-feira, 15 de março de 2019

Guilty Pleasures


Vamos falar sobre... guilty pleasures. Para quem não está familiarizado com este termo, um guilty pleasure é algo que nós gostamos, mas que é considerado errado/estranho/algo que está fora da normalidade pela maior parte das pessoas e por isso faz com que nos sintamos culpamos por gostar disso. E na onomástica também existem guilty pleasures. Quantos de nos já não vimos narizes torcer quando afirmámos gostar de x nome? Ou então chegámos mesmo a ouvir que esse tal nome era "feio" ou "não usável" e às vezes até coisas piores. O convite que vos faço é de fazerem parte desta discussão e nos contarem quais são os vossos prazeres culposos. 

Ana Madaíl Carvalho - Para esta rubrica fiz uma seleção de 3 nomes que gosto muito e que considero guilty pleasures porque praticamente só ouvi comentários negativos sobre os mesmos. 
Desde que me conheço sempre tive um carinho muito grande por nomes "cheios de pó". Para além de sempre ter gostado de onomástica, os nomes de "velhinha/o" eram constantemente os meus preferidos e por já ter ouvido tanta barbaridade, hoje em dia já não ligo se as pessoas acham os nomes que gosto feios ou inviáveis, mas lembro-me que a primeira vez que fiquei magoada com este assunto foi quando disseram que "Olímpia é nome de velha, credo, a criança vai nascer já com os pés para a cova". Achei um comentário muito feio e infeliz. No entanto continuo a adorar Olímpia. Outro nome que continuo a gostar imenso é de Corália. Considero-o um charme, bonito, elegante. E o último é Blimunda. Sim, Blimunda. "Entre a vida e a morte há uma nuvem fechada", já dizia ela em Memorial do Convento e se vamos falar sobre vontades, a minha vontade é de continuar a gostar de Blimunda. É diferente, tem um quê de intelectual e é muito divertido de dizer. Provavelmente, este último é o mais esquisito da lista, o que causa mais estranheza. Corália também é diferente pelo facto de literalmente há anos não nascer nenhuma em Portugal. Olímpia também não era registado há muito tempo, mas felizmente em 2018 uma pequena Olímpia veio dar o ar de sua graça. Estes são os meus 3 guilty pleasures, achei curioso não ter nenhum nome masculino na lista, mas quando parei para refletir sobre este assunto, os nomes masculinos que mais gosto estão mais "dentro do padrão" do que os femininos. 

Patricia Monteiro - Sempre fui eclética em relação aos meus gostos dentro da onomástica, mas os nomes exóticos estão no topo da preferência dos meus guilty pleasures. Sou muito atraída por tudo que diz respeito ao mundo místico e esotérico, e claro que os nomes ligados à essas vertentes também me seduzem. Tenho grande admiração por Índigo, mas com a clara consciência de que seria uma escolha ousada, que certamente traria olhares de espanto e desaprovação. Outro nesse estilo seria Ametista, a pedra preciosa tão bela e cujo nome comecei a prestar mais atenção recentemente, desde então só vejo beleza. Infelizmente nem todos compartilham da mesma opinião e já vi comentários dizendo que Ametista é feio. Dos antigos tenho bastante apreço por Agnes acho um nome adorável, tem uma sonoridade diferente, única, uma bonita grafia, mas... dizem que é estranho, antigo, até mesmo desprovido de beleza... Não deixo de ver qualidades em Agnes, mas não sei se teria coragem de usá-lo.

Cláudia Barata Sandal - Eu sou daquelas que adora nomes raros e fora do padrão, mas existem 3 nomes que eu não usaria por várias razões. Não usaria por não serem bem aceites por 99% das pessoas do meu círculo social e além. Não usaria também porque são nomes que apesar de adorar, não acho mesmo que sejam usáveis nos dias de hoje e por mais que me considere ousada estes nomes são ousados demais para mim. Um dos meus guilty pleasures da onomástica é Perpétua. Sim, leram bem: Perpétua. Não consigo explicar bem e nem eu mesma entendo bem o porquê da minha atração por este nome, mas desde que me lembro sempre me senti atraída por ele. Acho a sonoridade tão diferente e forte e ao mesmo tempo, tem um quê de ocultismo à volta do nome que também me atrai. Nunca conheci nenhuma Perpétua, mas iria adorar conhecer. Tenho pena que haja tanto negativismo à volta de Perpétua porque acho um nome deveras interessante. O meu segundo guilty pleasure é outro nome feminino, Violante. Este é outro nome que a maioria das pessoas não gosta e isso se reflete no número de registos anuais. Eu acho Violante um nome cheio de estilo, e à semelhança de Perpétua tem igualmente uma grafia e sonoridade diferentes e isso agrada-me imenso. Quando penso em guilty pleasures é sempre Perpétua e Violante que me vêm à cabeça, mas existe um outro nome masculino que penso se enquadrar na categoria guilty pleasures mesmo tendo considerado usá-lo em tempos passados: Aramis. Aramis é um outro nome dificilmente aceite pela maioria das pessoas porque ou faz lembrar arames ou faz lembrar um dos moscãoteiros do desenho animado Dartacão (que eu era super fã em criança), mas que simplesmente adoro! E a associação ao livro Os Três Mosqueteiros de Alexandre Dumas faz-me ainda adorar mais o nome. Já não penso em usar Aramis porque tenho planos de ter somente mais um filho e se for menino será Sancho (este deve ser um guilty pleasure de várias pessoas, mas no meu caso não me sinto guilty de maneira alguma). No entanto, Aramis está no meu top 5 de nomes favoritos masculinos e sempre estará. Poderia enumerar mais uns poucos mas estes 3 são os meus favoritos dentro dos guilty pleasures

E vocês? Têm algum guilty pleasure onomástico?

Ana Madaíl Carvalho, Cláudia Barata Sandal, Patricia Monteiro.

Fontes Consultadas: 
O BLOG DOS NOMES.

quinta-feira, 14 de março de 2019

Odette & Odile - Atendendo a Pedidos



Mais um pedido a ser concretizado, mais dois nomes a serem descobertos e nos surpreender com as suas histórias.

Eu não sou dada a ballets nem a outras danças, mas adoro música clássica e claro que é daí que conheço O Lago dos Cisnes.

Dividido em quatro atos, o ballet dramático O Lago dos Cisnes, do compositor russo Tchaikovsky, com o libreto de Vladimir Begitchev e Vasily Geltzer, estreou no Teatro Bolshoi em Moscovo em 1877. Conta a bela e dramática história de Odette, uma princesa que foi transformada em cisne por um malvado feiticeiro, de nome Rothbart, que tem a forma de uma ave de rapina.

Odette vive num lago fruto das lágrimas da sua mãe, com as suas damas também sofrendo da mesma maldição, até que numa bela noite o príncipe Siegfried a vê transformar-se em humana e se apaixona. A maldição de Odette consistia em se transformar em cisne durante o dia e humana à noite, esse feitiço só poderia ser quebrado se alguém se apaixonasse verdadeiramente por ela. O príncipe jura a Odette que a irá salvar e faz juras de amor eterno, mas lembrado por Odette regressa ao palácio onde decorria uma festa que a sua mãe, a rainha, esta a celebrar para encontrar uma esposa para o seu filho.

Chegando lá, Siegfried vê uma bela moça vestida de negro, Odile, o cisne negro e filha de Rothbart. Odile era igual a OdetteSiegfried a confunde com Odette e se derrete de amores por Odile porque ela o enfeitiça durante o bailado. Odette, entretanto, chora e é consolada pelos outros cisnes até que Siegfried aparece e pede perdão a Odette, jurando ter sido enganado por Odile. Nisto o feiticeiro e Odile surgem e Siegfried derrota o feiticeiro cortando suas asas e o seu amor verdadeiro por Odette quebra a maldição.

Odette e Odile estão por isso eternamente ligados ao Lago dos Cisnes. Que história magnífica com a sua música arrebatadora e um bailado tão romântico quanto trágico. Ao ler sobre o bailado deu-me vontade se ir ver o espetáculo e me deliciar com a bela Odette e a maldosa Odile.

Apesar de ser um bailado russo, Odette e Odile são ambos nomes franceses, mas não me admira que tenham sido os escolhidos para a obra de Tchaikovsky porque era comum na Rússia se falar francês no século passado, era sinal de requinte e bons costumes.

Odette e Odile são variantes de Odilia, sendo Odile sua forma francesa e Odette um diminutivo. Odilia é um nome de origem germânica que significa fortuna e riqueza.

Odette é diminutivo de Odilia mas também de Oda, que, por sua vez, é a forma feminina de Oto o qual partilha o mesmo significado de Odilia, fortuna.

Uma das nossas fontes afirma ainda que Odile tem também origem no germânico Otthilde que significa próspera em batalha.

Odette começa a ser visto nos Estados Unidos como um nome trendy pela sua terminação, e foi o escolhido pelo ator Mark Ruffalo para a sua filha.

Mas foi na Segunda Guerra Mundial que o  nome se tornou muito badalado, isso graças à heroína da resistência francesa Odette Brailly, que arriscou a sua vida ao passar informações aos Aliados, o que fez com que fosse capturada pelos alemães. Mais tarde se tornou célebre ao escrever um livro sobre o que passou nas mãos dos nazis.

A popularidade de Odette e Odile no Brasil é baixinha, nenhum deles foi registado em São Paulo em 2017, e de acordo com o censo do IBGE Odette tem uma frequência de 1600 pessoas, tendo sido mais popular nos anos 30. Nos dias de hoje em está em desuso. Resolvi pesquisar a popularidade de Odete nesta grafia e vi que é a escrita mais popular, já contava com cerca de 68.000 pessoas até 2010, e a sua popularidade teve auge nos anos 50. Odile é ainda mais raro, com uma frequência de somente 800 pessoas, a maioria nascida durante a década de 1940.

Em Portugal, Odette e Odile são igualmente raros. Nos anos 20 Odette teve por volta dos 5 registos anuais e depois não aparece mais, porém a grafia Odete já teve cerca de 100 registos anuais desde os anos 20 até aos anos 80, altura em que caiu em desuso. No ano passado nenhum deles foi registado e Odile nem sequer é aceite em Portugal.

Apesar da ligação ao bailado russo que jamais irá entrar em decadência, Odette e Odile são nomes que a maioria considera antiquados e pesados. Dificilmente se tornarão moda, apesar de nos EUA Odette estar a chamar à atenção.

O site Nameberry diz que 80% dos leitores preferem Odette a Odile, mas eu prefiro Odile, acho mais melodioso e a terminação Ette é das que menos gosto.

E vocês? Preferem Odette ou Odile?
O que pensam sobre estes nomes?

Claudia Barata Sandal

Fontes consultadas:
Behind the Name, Nameberry, IBGE, IRN, ARPEN/SP SPIE, Wikipédia.

quarta-feira, 13 de março de 2019

Os Escolhidos das Celebridades - Viriato & Martim


No passado dia 9 de março, Filipa Gomes, a chef de cozinha portuguesa e apresentadora do programa de culinária Prato do Dia, foi mãe pela segunda vez de um menino chamado Viriato que veio fazer companhia à irmã Julieta. Este nome masculino é de origem irlandesa e o seu significado pode significar tanto homem como bracelete. Vale lembrar que Viriato foi uma figura importantíssima na história de Portugal. Gostei muito da escolha da Filipa, ela surpreendeu-me e pela positiva.

Ainda esta semana, também em Portugal, nasceu Martim. O ator português Manuel Melo, o eterno "Girafa", foi pai pela primeira vez ao lado da sua mulher Sofia Fernandes. A origem de Martim é romana e é um caso genitivo do nome do deus romano Marte. A meu ver uma escolha segura, mas que não deixa de ter o seu encanto. 

Gostaram mais da escolha de Viriato ou de Martim

Ana Madaíl Carvalho 

Fontes Consultadas: 
O BLOG DOS NOMES, Caras, n-tv. 

terça-feira, 12 de março de 2019

Nomes Populares no Brasil nos anos 80


A exemplo do que fizemos quando publicamos o post sobre os nomes que mais fizeram sucesso no Brasil nos anos 90, lançamos hoje a lista dos 20 nomes (femininos e masculinos) que estavam no auge da moda na década de 80. Através da excelente ferramenta Nomes no Brasil, disponibilizada pelo IBGE, podemos ter acesso a este ranking. Os antropônimos aqui listados marcaram uma geração, repercutiram por muitos anos e ecoam como os adultos de hoje.

Top Feminino:
  1. Maria
  2. Ana
  3. Juliana
  4. Patrícia 
  5. Adriana
  6. Aline
  7. Fernanda
  8. Vanessa
  9. Luciana
  10. Cristiane
  11. Fabiana
  12. Renata
  13. Márcia
  14. Simone
  15. Camila
  16. Daniela
  17. Priscila
  18. Andréia
  19. Tatiane
  20. Carla
Top Masculino:
  1. José
  2. Antônio 
  3. Francisco 
  4. João
  5. Carlos
  6. Rafael
  7. Paulo
  8. Rodrigo
  9. Marcos
  10. Fábio
  11. Leandro
  12. Marcelo
  13. Tiago
  14. André
  15. Anderson
  16. Bruno
  17. Daniel
  18. Fernando
  19. Diego
  20. Márcio
Com exceção dos clássicos Maria, Ana, João e José, que sempre ganham muitos registros por conta dos compostos, que nomes desta lista acham que podem voltar a ocupar os topos dos rankings?

Patricia Monteiro 

Fonte Consultada:
IBGE